Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 17ª Edição

Case: COMER E BEBER SP/RJ
Candidato: Pândega Produções Artísticas Ltda
Cliente: Adma Eventos
Segmento: Serviços
Estado: SP
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos

A Empresa Pândega é uma empresa de arquitetura e cenografia voltada tanto para o mercado cultural como corporativo. Sua equipe é composta por arquitetos, designers e produtores liderados pela arquiteta, cenógrafa e diretora de arte Suzane Queiroz.
A empresa faz da criatividade seu diferencial, somando valores artísticos ao planejamento de espaços, pesquisa e ampla utilização de materiais não convencionais. A Pândega traz o clima de espetáculo para o comercial desenvolvendo e executando projetos especiais par desfiles, estandes, festas, convenções, shows, peças de teatro, premiações e exposições.
Criada em 2001, a empresa é fruto do trabalho inicialmente autônomo de Suzane Queiroz, que também trabalhou durante sete anos com o Cenógrafo Gringo Cardia em diversos projetos, logo que se formou em arquitetura pela UFRJ.
Desde 2001 a empresa realizou incontáveis projetos de cenografia de diversos portes, desde desfiles até o tour de visitação da taça da copa do mundo pela Coca-cola onde desenvolvemos dois sites de visitação no Rio e em São Paulo com 3.000m2 cada. A Pândega projeta e constroe projetos para todo o Brasil e para o Exterior. Em 2008 e 2009 realizou duas exposições na ONU em NY: “Christo Redemptor” e “Bossa Nova”respectivamente.
A empresa Pândega foi convidada pela empresa Adma para participar da concorrência do projeto cenográfico do Prêmio Comer e Beber da Revista Veja Rio e SP em 2009. Ganhamos a concorrência e realizamos esse belíssimo evento. O Prêmio Comer e Beber promovido pela Revista Veja trata-se de um importante prêmio de gastronomia realizado anualmente.

Galeria de imagens
Bar
Entrada - RJ - 1
Foyer - RJ
Lounge - RJ - 1
Lounge - RJ - 2
Lounge - RJ - 3
Palco - RJ - 1
Palco - RJ - 2
Entrada - SP - 1
Entrada - SP - 2
Foyer - SP
Palco - SP - 1
Palco - SP - 2
Plateia - SP
 

 

FICHA TÉCNICA DO EVENTO
Titulo: PREMIO COMER E BEBER – VEJA SP E RJ 2009
Numero de participantes: A equipe da Pândega foi formada por 20 pessoas, desde a criação, desenhos técnicos, produção de materiais e construção. O numero de convidados que compareceram ao evento foi cerca de 800 pessoas
Local: Em São Paulo no HSBC e no Rio no Píer – armazém 2
Data: 17/09/09 SP e 08/10/09 RJ
Periodicidade: Essa premiação da revista Veja Rio e SP acontece todos os anos no Rio e em São Paulo
Abrangência: Todo o público convidado que são pessoas ligadas ao meio gastronômico do Rio e da São Paulo. Todos ficaram extremamente curiosos com as peças expostas e a procura por quem tinha projetado e construído a cenografia do evento foi grande.
Entidade promotora: Editora Abril e Grupo Adma Eventos
Conceito do espaço: O conceito proposto pela Adma foi que na cenografia deveríamos utilizar utensílios dos chefs de cozinha. A partir daí a diretora de arte e cenógrafa Suzane Queiroz escolheu utensílios com formas e texturas interessantes e definiu um sentido na utilização dos mesmo em cada espaço da cenografia proposta.
Projeto, desenvolvimento e descritivo completo do produto: O projeto é composto por um pórtico de entrada, receptivo, foyer, platéia e palco. Em todos os ambientes da premiação foram utilizadas composições de utensílios de chefs, desde taças e copos até panelas e pratos.

Serviço realizado: Criação da cenografia, implantação dos espaços, planejamento de circulação e fluxo, paisagismo e mobiliário
Sua origem e evolução até o presente:
Esse conceito que aglutinar elementos na cenografia e a partir daí criarmos os ambientes cenográficos de eventos, será desenvolvido nas próximas edições no intuito de criarmos uma linguagem para o Prêmio.

CONTEÚDO
A partir do conceito de utilização de utensílios dos chefs, o desafio foi encontrar materiais ao mesmo tempo interessantes e com uma escala adequada para trabalhar em cenografia. Desde a entrada até o palco, o convidado foi sendo conduzido por espaços ambientados de maneira ao mesmo tempo lúdica, informal e extremamente elegante. No pórtico criamos um elemento com iluminação led embutida para gerar uma variação de cor no elemento cenográfico. Esse pórtico foi composto de 1200 copos e taças transparentes O que resultou em uma textura interessante. No foyer, envolvemos o ambiente com grandes painéis com aplicações de cerca de 600 panelas e fôrmas de alumínio, dando origem a uma superfície cheia de reentrâncias e relevos que, iluminados tiveram um efeito surpreendente. No centro do ambiente do foyer, foi instalado um grande elemento central com 4m de altura. Suas formas curvas foram revestidas por colheres de pau e rolos de macarrão de madeira, em contraponto aos painéis metálicos No mesmo ambiente exploramos esse contraste de materiais – madeira e metal.
Localizadas no foyer e marcando os pontos de Buffet na platéia, foram criadas luminárias com refletores led embutidos para que pudéssemos ter alternância de cores. Essa luminárias foram compostas de copos e taças transparentes. O apogeu da cenografia aconteceu no palco. Todo o palco foi revestido de pratos cenográficos confeccionados em vacum form, pois precisávamos no palco, de uma escala maior do que a os pratos normais. Mas em um evento que premia pratos ... Nada melhor que um palco repleto de ... pratos. Foram moldados 300 unidades de diversos tamanhos. Inclusive a própria tela de projeção era redondo e tinha a cada lado um garfo e uma faca, remetendo a tela à um grande prato de 3m de diâmetro. A cenografia criada com pratos brancos sobre fundo preto resultou em uma belíssima superfície para ser amplamente explorada pela iluminação que proporcionou a marcação de diversos momentos durante a premiação.

Galeria de imagens
Bar - RJ 1
Bar - RJ 2
Bar - RJ 3
Foyer - RJ - 1
Foyer - RJ - 2
Foyer - RJ - 3
Foyer - SP
Palco - SP - 1
Palco - SP - 2
Palco - SP - 3
Palco - SP - 4
       

 

Estamos tendo a oportunidade de vivenciar esse início do século XXI, onde temos acesso a diversos recursos tecnológicos para criarmos e recriarmos com total liberdade e sempre com uma forte sensação de que não existe limite e que tudo é possível. Nesse contexto, viemos na contramão desse movimento na cenografia apresentada, onde não fizemos uso de qualquer recurso tecnológico para atingir os objetivos da cenografia. A empresa Pândega optou por trabalhar com os materiais reais, presentes no dia a dia dos grandes chefs, mas utilizados ali, na cenografia como adereços e texturas. Os utensílios selecionados entre infinitas opções, foram escolhidos pelo seu resultado plástico, onde a função prática primária deu lugar a uma função estritamente estética e conceitual. Nosso desafio foi criar uma cenografia extremamente adereçada, mas sem cair em um ambiente cenográfico caricatural. O que objetivamos foi criar espaços elegantes através de elementos adereçados. Toda a equipe se dedicou ao desenvolvimento de técnicas construtivas e de adereços, de modo a obtermos um resultado diferenciado. A utilização de iluminação de led, foi fundamental, uma vez que criamos diversas superfícies extremamente receptivas à alternância de cores na iluminação. No fim, utilizamos realmente recursos extremamente simples e viáveis economicamente com um efeito que extrapolou nossa expectativas.

Galeria de imagens
Planta baixa - RJ
Planta Baixa - SP
     

 

Nos anos anteriores os projetos de cenografia desenvolvidos para as cerimônias do Prêmio Comer e beber, tanto no Rio como em São Paulo, enfatizaram mais a questão “bairrista” de cada estado, sempre exaltando as características naturais ou arquitetônicas da cidade onde seria realizado o Prêmio. Em geral eram desenvolvidas duas cenografias diferentes, uma para o Rio e outra para São Paulo.
A cenografia do Prêmio Comer e Beber 2009 representou um marco na realização do Prêmio uma vez que trouxe à tona uma nova ótica sobre o tema. De forma atemporal, ambientamos a premiação dentro do universo gastronômico, provocando a imersão dos participantes em ambientes cercados por panelas, rolos de macarrão, fôrmas, colheres de pau, pratos, copos e taças. Levamos cada convidado a participar de maneira lúdica do dia a dia de um chef de maneira extremamente lúdica. A cenografia, como um todo, foi amplamente comentada no meio gastronômico e cultural e resultou em vários contatos para novos trabalhos. Essa realização abriu um precedente criativo impactante na cenografia de eventos corporativos e plantou uma semente para o futuro, deixando a pergunta: Como a cenografia da premiação vai se superar no ano seguinte?!

PROGRAMAS DE QUALIDADE, RESPONSABILIDADE SOCIAL E ECOLÓGICA
Nos dias atuais, evitar o desperdício com uma utilização consciente e eficiente dos materiais, é uma Ação fundamental em qualquer atividade. No âmbito da cenografia, nos deparamos com uma utilização extremamente efêmera de diversos materiais nobres como tecidos, ferro, madeira entre outros. A Pândega encara como um desafio a ser superado a cada construção nova de cenografia, a questão do reaproveitamento de material, evitando ao máximo qualquer desperdício. Para tanto, desde o projeto, procura-se desenhar cada espaço, assim como cada elemento com materiais alternativos, priorizando o uso de materiais social e ecologicamente corretos sempre de maneira simples e econômica evitando, principalmente, a utilização maciça de madeira em suas construções.
No caso da cenografia do evento Comer e Beber, o que a primeira vista pareceu ser um problema, acabou sendo uma solução. Todo o material cenográfico foi utilizado em São Paulo e posteriormente reaproveitado na íntegra no Rio de Janeiro. O que já é de antemão uma atitude ecológica: utilizar a mesma cenografia nos dois prêmios.
As estruturas de base foram construídas em ferro e madeira, sendo assim perfeitamente reaproveitáveis. Essas estruturas foram conduzidas de volta ao galpão onde puderam ser reutilizadas em outros projetos. Já os utensílios como as copos, taças, panelas, fôrmas, rolos de macarrão e colheres de pau, para nossa felicidade, eram elementos já prontos com grande capacidade de reutilização e foram doados para comunidades do Rio de Janeiro.

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube