Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 17ª Edição

Case: IV CONCURSO NACIONAL DE PINTURA E POESIA ARTE DE VIVER
Candidato: RV Mais
Cliente: RV Mais Promoções e Eventos
Segmento: Eventos
Estado: SP
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos

A RV Mais é uma brasileira do ramo de promoções e eventos que atua há 15 anos com paixão e responsabilidade, dando vida aos sonhos de seus clientes por meio da busca da excelência nos serviços prestados.

O Projeto Arte de Viver é um concurso nacional de pintura e de poesia que nasceu com o intuito de despertar a criatividade de portadores de esquizofrenia e transplantados, e permitir a expressão da comunicação das idéias e emoções dessas pessoas por meio da arte. A RV Mais foi a empresa responsável por formatar o projeto de acordo com os requisitos da Lei Rouanet para apresentação junto ao Ministério da Cultura, além de administrá-lo e realizá-lo em todas as suas fases.

A Janssen-Cilag Brasil, patrocinadora exclusiva do projeto, é uma indústria farmacêutica de origem belgo-suíça presente no Brasil desde 1937. A companhia traz consigo a mesma filosofia de trabalho que inspirava seus empreendimentos há mais de 70 anos: qualidade e busca constante pela inovação. A Janssen-Cilag integra a Companhia Johnson&Johnson. Mundialmente reconhecida por cuidar de milhões de pessoas com seus produtos e medicamentos, exerce essa tarefa na área da responsabilidade social investindo em programas de educação infantil, buscando promover a integração entre seus valores e princípios com iniciativas filantrópicas.

Ficha Técnica

Título: IV Concurso Nacional de Pintura e Poesia Arte de Viver
Tema/Slogan: Valorizando Vidas por Meio de Arte
Público-alvo: Pacientes portadores de esquizofrenia, pessoas submetidas a transplantes de órgãos e os profissionais da saúde que lidam com estes pacientes.
Conceito: O Projeto Arte de Viver representa, acima de tudo, uma forma de inclusão social desses pacientes e de estímulo à realização das atividades do cotidiano. O projeto visa também a autovalorização do ser humano enfermo, fortalecendo o desenvolvimento do indivíduo junto à sociedade, incentivando sua capacidade artística e priorizando sua qualidade de vida.
Palavras-Chaves: Cidadania, Inclusão Social, Valorização do Ser Humano e Responsabilidade Social.
Período de realização: 01/09/08 a 01/04/09
Periodicidade do concurso: Anual
Abrangência: Nacional
Edições Anteriores: 1998, 1999 e 2000
Nº pacientes participantes: 865 (telas entregues)
Patrocinadora Exclusiva: Janssen-Cilag
Idealização e Realização do Concurso: RV Mais Promoção e Eventos

Criado em 1998, o Projeto Arte de Viver é um concurso nacional de pintura e de poesia que nasceu com o intuito de, por meio da arte, sensibilizar o público sobre a importância da socialização dos portadores de esquizofrenia. O Concurso Nacional de Pintura e Poesia Arte de Viver é realizado em todo o território brasileiro, sendo divulgado junto a profissionais da área da saúde que, por sua vez, convidam seus pacientes a participarem da iniciativa.

A primeira edição, realizada em 1998, contava somente com a área de pintura. Na época, 954 obras vindas de todo o país foram inscritas, sendo três delas premiadas como as melhores do concurso. Os trabalhos foram selecionados por uma comissão julgadora, da qual participaram artistas plásticos renomados. O resultado foi divulgado no XVI Congresso Brasileiro de Psiquiatria, que contou com exposição das obras no Memorial da América Latina, na capital paulista.

No ano seguinte, 1999, foi realizada a segunda edição do projeto que, nesta etapa, passou a contar com o incentivo da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura. No segundo concurso, 2.149 obras foram inscritas. O projeto passou, naquele ano, a ter também a categoria poesia. O escritor Mário Prata foi o presidente do júri que escolheu as melhores redações em poesia. Os 100 melhores trabalhos de cada área foram reunidos e publicados no livro “Arte de Viver – Pinturas e Poesias”. As obras vencedoras foram apresentadas no XVII Congresso Brasileiro de Psiquiatria, ocorrido em Fortaleza (CE), e fizeram parte de uma mostra intitulada “Art Contemporain 2000”, na Porte d’Auteuil, em Paris. Esse espaço é um dos dez principais da cidade francesa.

Já em 2000, na terceira fase do projeto, foram 2.823 trabalhos inscritos e a etapa contou, novamente, com o apoio do Ministério da Cultura, consolidando o sucesso das edições anteriores. Os trabalhos selecionados foram expostos no Museu de Imagens do Consciente, no Rio de Janeiro, durante o XVIII Congresso Brasileiro de Psiquiatria, que ocorreu em outubro daquele ano. As obras ilustraram a agenda “Arte de Viver 2001” e um calendário do ano de 2001.

Após a 3º edição, o projeto passou por uma revisão interna na Jannsen-Cilag e em 2004, a RV Mais assumiu a missão de dar projeção ao concurso social e torná-lo algo grandioso, projeto concretizado em 2008. No lançamento da quarta edição, o projeto contou com o patrocínio exclusivo da Janssen-Cilag por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Sua atuação no segmento de responsabilidade social foi ampliada e o projeto passou a promover, também, a inclusão por meio da pintura e da poesia de transplantados, além dos portadores de esquizofrenia. Nesta nova categoria as obras refletiram a esperança de muitas pessoas na espera por um transplante de órgão para continuar a viver. A RV Mais foi à empresa responsável por formatar o projeto de acordo com os requisitos da Lei Rouanet para apresentação junto ao Ministério da Cultura, além de administrá-lo e realizá-lo em todas as suas fases. Hoje o Concurso Arte de Viver é um dos projetos de responsabilidade social mais bem-sucedidos dentro da Janssen Cilag.

Como o paciente participa?

Para participar, os pacientes receberam um kit de seu médico contendo os seguintes materiais:
- 01 tela de pintura
- 01 kit com pincéis, lápis e tubos de tintas
- 01 Ficha técnica de poesia
- 01 Ficha técnica de pintura
- 01 Envelope com “porte pago”

Categoria Pintura

Nesta categoria, o tema para a pintura é livre. Cada paciente pode inscrever apenas uma obra. Para participar da pré-seleção, o paciente deve enviar uma foto colorida da obra, no formato de 10,0 x 15,0 cm, afixada no espaço assinalado na ficha técnica.

Através das fotos enviadas, as 100 melhores são pré-selecionadas. Os pacientes pré-selecionados são comunicados para que remetam o original de suas obras, juntamente com a ficha técnica devidamente preenchida com seus dados e com o nome do médico ou profissional de saúde que o convidou para participar do concurso.

Categoria Poesia

Nesta categoria o tema da poesia é livre, porém devem ser inéditas e originais, isto é, uma poesia que nunca tenha sido editada ou gravada comercialmente e não plagiada de outra já existente.

Para participar da pré-seleção, o paciente deve enviar a poesia manuscrita em letra de forma, datilografada ou redigida em computador e impressa juntamente com a ficha de inscrição.

Das poesias enviadas são selecionadas 50 melhores. Os pacientes pré-selecionados são comunicados para que remetam o original de suas obras, juntamente com a ficha técnica devidamente preenchida com seus dados e com o nome do médico ou profissional de saúde que o convidou para participar do concurso.

O envelope com porte pago entregue junto ao kit facilita o envio das obras e incentiva pessoas que não tem condições financeiras para participar do projeto.

Julgamento das Obras

Cada categoria teve uma Comissão Julgadora distinta que pré-selecionou as 100 melhores pinturas e as 50 melhores poesias e dentre estas, as três obras que fizeram jus à premiação. A seleção foi baseada em três conceitos: criatividade, emoção e expressão.

Comissão Julgadora

O julgamento dos trabalhos do IV Concurso Nacional de Pintura e Poesia Arte de Viver foi feito por uma comissão especialíssima, formada por grandes nomes da medicina, da arte e da literatura brasileira. Participaram da avaliação das pinturas a consultora de arte Bel Lacaz e os artistas plásticos Gustavo Rosa e Cláudio Tozzi.

Representando a classe médica estavam as psiquiatras Cíntia de Azevedo Marques, que compõe a equipe do Hospital das Clínicas de São Paulo, e Claudiane Salles Daltio, da Escola Paulista de Medicina; além dos transplantadores Maria Cristina Ribeiro de Castro, ex-presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), e Nicolas Panajatopoulos. Esse júri foi presidido pelo pintor Sérgio Longo.

Já para selecionar as poesias, o médico Henry de Holanda Campos, da diretoria da ABTO, presidiu a comissão formada pela filósofa e escritora Marcia Tiburi, o escritor Evandro Affonso Ferreira e os cantores e compositores Jair Oliveira e Wilson Simoninha. Também estava nessa equipe o psiquiatra Deyvis Macarof Loureiro Vasconcelos Rocha, da Escola Paulista de Medicina.

Nas edições anteriores, outros grandes nomes da cultura brasileira também participaram do processo seletivo do concurso, como Aldemir Martins, Jacob Klintowitz, Mário Prata, Lêda Beatriz Abreu Spinardi, Luís Tenório Lima, Arnaldo Antunes, Eliana Curatolo, Márcia Rizzini, Vicente Adorno, entre outros.

Premiação

Ao todo, 12 pacientes foram premiados no concurso arte de viver. Os autores das melhores pinturas e poesias em ambas as categorias, receberam os seguintes prêmios:

1º lugar: R$ 3.000,00
2º lugar: R$ 2.000,00
3º lugar: R$ 1.000,00

Vencedores do Concurso

Portadores de Esquizofrenia - Categoria Pintura
1º lugar: José Alberto Orsi (São Paulo - SP).
2º lugar: Alceu Rodrigues dos Santos (Juiz de Fora - MG)
3º lugar: José Amarildo dos Santos (Fazenda Rio Grande - PR)

Portadores de Esquizofrenia - Categoria Poesia
1º lugar: João Cláudio Ferreira de Brito (Niterói - RJ)
2º lugar: Thais Carvalho Kerbavac (São Paulo - SP)
3º lugar: Moacir Tadeu Paiva (São Paulo - SP)

Transplantados - Categoria Pintura
1º lugar: Orlando de Almeida Cesar (São Paulo - SP)
2º lugar: Shirley Vieira Tucci (São Paulo – SP)
3º lugar: Lucas Vinicius Fagundes Gonçalves Sather (São Paulo - SP)

Transplantados - Categoria Poesia
1º lugar: Antonio Mourão Cavalcante (Fortaleza - CE)
2º lugar: Henrique de Araújo Pedro (Matão - SP)
3º lugar: Luiz Rodolfo de Barros C. V. de Castro (Rio de Janeiro - RJ)

O evento de premiação aconteceu no Museu da Casa Brasileira e contou com a participação de 300 pessoas, como médicos psiquiatras e da área de transplantes, pacientes premiados e seus familiares, comissão julgadora, imprensa, autoridades de saúde, entre outros. O local foi ambientado como uma grande galeria de arte decorada com elementos relacionados a pinturas e poesias, com a exposição de obras vencedoras do concurso.

Galeria de imagens
icha de Inscrição - Pintura
icha de Inscrição - Poesia
Banner da Campanha
Oficina de Pintura e Poesia
Oficina de Pintura e Poesia
Oficina de Pintura e Poesia
Oficina de Pintura e Poesia
Comissão Julgadora de Poesia
Comissão Julgadora de Pintura
Palco - Evento de Premiação
Decoração - Evento de Premiação
Premiação
Premiação
Premiação
Premiação
Premiação
Placa de Premiação
Coquetel - Evento de Premiação
Exposição - Evento de Premiação
Exposição - Evento de Premiação
1º lugar - Categoria Pintura - Psiquiatria - Vera - José Alberto Orsi, SP
2º lugar - Categoria Pintura - Psiquiatria - O amor riu de mim - Alceu Rodrigues dos Santos, MG
3º lugar - Categoria Pintura - Psiquiatria - Carga Derrubada - Jose Amarildo dos Santos, PR
1º lugar - Categoria Pintura - Transplantados - Glóbulos do Sangue - Orlando de Almeida Cezar, SP
2º lugar - Categoria Pintura - Transplantados - Amazônia - Shirley Vieira Tucci, SP
3º lugar - Categoria Pintura - Transplantados - Parapentes em Atibaia - Lucas Vinicius Sathler, SP
1º lugar - Categoria Poesia - Psiquiatria - Morte e amor - João Claudio Ferreira de Brito, RJ
2º lugar - Categoria Poesia - Psiquiatria - O terceiro caminho - Thais Carvalho Karbavac, SP
3º lugar - Categoria Poesia - Psiquiatria - Autoretrato - Moacir Tadeu Paiva, SP
1º lugar - Categoria Poesia - Transplantados - Cumplicidade - Antonio Mourão Cavalcante, CE
2º lugar - Categoria Poesia - Transplantados - O transplante - Henrique de Araujo Pedro, SP
3º lugar - Categoria Poesia - Transplantados - Poesia Sempre Poesia - Luiz Rodolfo de Castro, RJ
     

 

Cerca de 1% da população mundial sofre de esquizofrenia. No Brasil, esse número está em 1,7 milhão de pessoas, sendo que 34 mil novos casos são diagnosticados a cada ano. Esta doença mental crônica possui sintomas que normalmente se manifestam no fim da adolescência e podem incluir retraimento social, alucinações visuais e auditivas bem como idéias delirantes. A doença ainda é cercada de preconceitos e incompreensões. Além do tratamento medicamentoso, que controla os sintomas, as abordagens psicossociais podem oferecer um resultado fantástico, com a possibilidade de reinserção do indivíduo, evitando que ele seja segredado socialmente, além de melhorar sua qualidade de vida.

O Brasil ocupa o segundo lugar em número absoluto de transplantes e tem o maior programa público de transplantes no mundo. Em contrapartida a esse sucesso, observa-se um aumento progressivo nas listas de espera sem um aumento na captação de órgãos. Em todo o país, cerca de 65 mil pessoas aguardam por um órgão ou tecido. Depois da fila de espera por um doador, a cirurgia e o período de recuperação, pessoas que se submeteram a um transplante de órgão passam a enfrentar outro problema: o preconceito. Obrigados a se afastar do emprego no período da doença, transplantados muitas vezes não conseguem retomar a vida profissional, mesmo depois de totalmente restabelecidos.

A RV Mais tinha um desafio: promover a sociabilização dessas pessoas elevando sua autoestima e melhorando sua saúde mental e intelectual. E conseguiu. Esta iniciativa tornou-se um de seus maiores programas culturais e sociais, voltado a portadores de esquizofrenia e transplantados do Brasil. O Concurso Arte de Viver colabora com a reintegração do portador de esquizofrenia e de transplantados, favorecendo sua inclusão na sociedade, estimulando-os a participar de atividades produtivas e a demonstrar suas habilidades e emoções. A atividade artística acaba sendo um lazer, uma terapia e eles começam a voltar à vida normal.

O concurso arte de viver nasceu apenas como um pequeno projeto de responsabilidade social, mas após diversas pesquisas realizadas pela RV Mais, o projeto reinventado e concretizado em 2008 teve grande projeção e tornou-se algo grandioso, um programa social voltado a este público de caráter inédito no país. Toda essa transformação contou com o incentivo da lei Rouanet, do Ministério da Cultura.

Para dar amplitude ao concurso, após a criteriosa seleção das obras, foram produzidos dois livros de arte, que englobam juntos as 200 melhores pinturas e as 60 melhores poesias. Um registro do desafio de cada participante em aventurar-se nos caminhos da arte, no traduzir do lápis ou nas tintas, as pequenas e grandes lições do cotidiano e na opção de cada um deles em enfrentar as dificuldades da vida de uma maneira muito especial, por meio da arte, expressando criatividade e idéias. Os livros de arte foram distribuídos para os médicos psiquiatras e da área de transplantes envolvidos, os pacientes premiados, a comissão julgadora, imprensa, autoridades de saúde e bibliotecas exigidas pelo Ministério da Cultura.

Galeria de imagens
Capa do Livro Pinturas e Poesias - Psiquiatria
Capa do livro - Pinturas e Poesias - Transplantes
     

 

O Programa Arte de Viver contou com a mobilização e o envolvimento de um número enorme de pessoas no país, o que mostra a importância de ações que tenham por objetivo a reintegração social.

Na quarta edição do projeto, o programa reuniu mais de 800 obras de pacientes de todo o Brasil, totalizando 6.800 participantes em 11 anos de existência.

O concurso ocasionou uma grande repercussão na mídia, sendo divulgado em diversos veículos nacionais e maior visibilidade para os temas “Esquizofrenia” e “Transplantes de Órgãos”.

Mesmo após o encerramento do concurso, as obras de pinturas e poesias continuam sendo divulgadas em eventos, espaços culturais e espaços públicos em diferentes cidades do Brasil.

Exposição no Metrô de São Paulo de 43 obras da categoria pintura

- Data: 10 a 30/08/09
- Local: Estação Clínicas do Metro

- Data: 10 a 30/09/09
- Local: Estação Brás do Metro

Vernissage no XI Congresso Brasileiro de Transplantes

- Data: 14/10/09
- Local: Estande da Janssen-Cilag, Recife – PE

XXVII Congresso Brasileiro de Psiquiatria

- Data: 04 a 07/11/09
- Local: Exposição de 50 m² no evento, São Paulo – SP

Após este projeto de sucesso, a RV Mais pode constatar a importância do slogan da campanha “Valorizando Vidas por meio da Arte” e confirmar a todos os envolvidos a certeza de estar no caminho certo.

Galeria de imagens
Exposição no Metro
Exposição no Metro
Exposição no Metro
Vernissage no XI Congresso Brasileiro de Transplantes
Vernissage no XI Congresso Brasileiro de Transplantes
Vernissage no XI Congresso Brasileiro de Transplantes
       

 

A RV Mais entende que sua trajetória de crescimento está diretamente ligada a sua conduta empresarial responsável. Preocupada com valores como ética, cidadania, desenvolvimento sustentável e igualdade social, adota diretrizes sócio-ambientais para estimular estes princípios.

A filosofia da RV+ é pautada pelos serviços de prestação pública na área de saúde, em parceria com seus clientes. Milhares de pessoas se beneficiaram e se beneficiam, todos os anos, com campanhas sociais e outras formas de comunicação, obtendo informações e conhecendo, mais de perto, temas como: Doação de Órgãos, Puberdade Precoce, Endometriose, Incontinência Urinária, Câncer de Próstata, Envelhecimento Masculino, Daem, Câncer de Bexiga e Câncer de Mama.

Também na área social, a RV Mais é responsável pela formatação e realização do Projeto Arte de Viver, um concurso nacional de pintura e de poesia voltado para portadores de esquizofrenia e transplantados que possui o intuito de despertar a criatividade e permitir a expressão da comunicação de idéias e emoções dessas pessoas por meio da arte.

Conheça as diretrizes internas e em eventos externos adotadas pela empresa:

Diretrizes internas:
- Uso racional de energia e água, através de campanhas de conscientização sobre a importância em reduzir o desperdício desses recursos;
- Economia de papel: aproveitamento do verso como rascunho;
- Programa de gestão de resíduos;
- Doações de sucatas de equipamentos usados.

Diretrizes em eventos:
- Análise da área do evento dentro dos padrões de sustentabilidade;
- Prioridade na escolha de materiais alternativos que tenham em sua composição material reciclado para a construção de áreas, estandes e comunicação visual;
- Preferência na contratação de mão-de-obra local;
- Gerenciamento de resíduos de montagem;
- Reciclagem de materiais;
- Direcionamento pós-uso de materiais para entidades sociais;
- Redução do consumo de energia com utilização de luz natural;
- Utilização de produtos biodegradáveis.

A RV Mais acredita que as consciências dos que nos cercam são despertadas quando se dá o exemplo.

O esforço da Janssen-Cilag Farmacêutica, integrante da Cia. Johnson&Johnson, em responder às necessidades sociais é traduzido em suporte financeiro, doação de produtos e divulgação de seus conhecimentos e experiências adquiridas na condução de seus negócios. Esse fundamento nasce do comprometimento com os nossos valores do Credo da empresa e da procura de novas respostas perante a complexidade da vida em sociedade.

Soluções transformadoras, impacto duradouro e inovação são três elementos fundamentais que o programa busca para promover a integração entre os valores e princípios da empresa com as iniciativas filantrópicas. A chave para o sucesso está na parceria com empreendedores sociais que promovem o desenvolvimento de metodologias, fortalece a construção da cultura democrática, que depende da constituição de atores sociais capazes de desenvolver formas de organização e recursos estratégicos.

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube