Prêmio Caio Sustentabilidade
Sobre a 2a Edição
Prêmio
Sobre o Prêmio
Patrocinadores
Conselho Diretor
Apoiadores
Mídia Partner
Realização
Fale Conosco
Inscrições
Tutorial de Inscrição
Categorias
Para se Inscrever
Notícias
Acontecendo
Clipping
Jacaré News
Cadastre-se
Edições Anteriores
11ª Edição
Prêmio Caio Sustentabilidade
Prêmio Caio da Década
10ª Edição
9ª Edição
8ª Edição
7ª Edição
6ª Edição
5ª Edição
4ª Edição
3ª Edição
2ª Edição
1ª Edição

Prêmio Caio 11ª Edição

Case: VIVA A MATA - S.O.S MATA ATLÂNTICA
Candidato: 360 graus Comunicação/360º BTL
Segmento: Eventos
Estado: SP
TROFÉU LEDCOM
Categoria: Evento de Responsabilidade Social
 
Viva A Mata 2007

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma organização não-governamental.
Entidade privada e tem como missão defender os remanescentes da Mata Atlântica, valorizar a identidade física e cultural das comunidades humanas que os habitam e conservar os riquíssimos patrimônios natural, histórico e cultural dessas regiões, buscando o seu desenvolvimento sustentado.

O evento Viva a Mata foi concebido em 2005 para celebrar os 18 anos da Fundação SOS Mata Atlântica. Sua primeira edição foi um sucesso.
A experiência bem-sucedida de reunir inúmeros parceiros, colaboradores, profissionais, voluntários e instituições nesta grande celebração em torno do Dia da Mata Atlântica motivou a Fundação SOS Mata Atlântica a oficializar o Viva a Mata como um evento anual.
Em 2006, a grande rede deste movimento em favor da proteção do bioma foi reunida sob o mote “A Mata Atlântica é aqui!”. O formato está consolidado.
Em 2007, a Fundação assumiu o desafio de realizar o Viva a Mata novamente em São Paulo e preparar sua chegada a outras capitais da Mata Atlântica.

A 360º foi a agência que produziu e organizou os eventos nos dois anos (2006 e 2007).

Objetivos do projeto:
•Celebrar e discutir as ações de conservação da Mata Atlântica.
•Promover a identificação do público leigo com as questões ambientais;
•Reunir a rede de parceiros da Fundação SOS Mata Atlântica e outros projetos e ações de destaque realizados em prol da conservação do bioma para troca de experiências.

Ficha Técnica do Evento:
Título: Viva a Mata 2007
Tema: Mata Atlântica
Número de participantes: 75.000 pessoas
Local : Parque do Ibirapuera
Periodicidade: Anual (de sexta a domingo – início de junho)
Abrangência: Nacional

O Viva a Mata teve patrocínio do Bradesco, colaboração do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) e apoio da Gol Linhas Aéreas e da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo.

Galeria de imagens
Layout Portico Entrada
Planta Baixa
       

 

As comemorações do Viva a Mata 2007 começaram com coquetel de lançamento e terminaram com uma grande ciranda na Marquise do Ibirapuera, após três dias de debates sobre as tendências de conservação da Mata Atlântica, conscientização e caminhada promovida pelo Grupo de Voluntários da ONG, lançamentos de livros, exposições, oficinas, shows e muito aprendizado sobre as iniciativas mais bem-sucedidas a favor da floresta.

Mais de 75 mil pessoas foram ver de perto 200 projetos ambientais expostos em 20 estandes temáticos, as apresentações artísticas e mobilizações – como o fandango de Cananéia, o espetáculo do grupo Kah-Hum-Kah e uma pequena ‘palha’ do cantor Lenine na noite de abertura -, além dos mais de 23 debates, painéis e ‘rodas de conversas’ que dominaram o evento.

Quem passou pela Marquise pôde levar mudas de espécies nativas – no total de 10 mil distribuídas – e ver como a ONG Pueras reaproveita o lixo numa mini-usina de reciclagem.

Todas as ações que tomaram conta da Marquise do Ibirapuera, foram para promover debates sobre as tendências da conservação e uso sustentável do bioma; reunir ONGs, governo, instituições de ensino e empresas numa mostra de iniciativas bem-sucedidas; abrir espaço para lançamentos, campanhas e projetos ambientais, além de envolver o grande público na proteção da Mata Atlântica. O convite foi então para a família, pais, filhos e amigos que queiram conhecer mais sobre a realidade da floresta, quando foram estimulados a colaborar, atuando como voluntários, aprendendo a reciclar, plantando árvores, denunciando.

O evento ocupou:
•1. Marquise do Ibirapuera – Mostra de iniciativas e projetos em prol da Mata Atlântica
•2. Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
•3. Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
•4. Auditório do MAM Ibirapuera – Ciclo de debates
•5. Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”

Estandes interativos permitiram ao público criar e reciclar
Para chamar a atenção do público para a importância da preservação dos recursos naturais, diferentes estandes do Viva a Mata desenvolveram oficinas interativas de produção de objetos, desenhos e pinturas. No estande da Colgate-Palmolive, voluntários da empresa aproveitaram jornais e materiais impressos da própria mostra para ensinar a arte do origami para pessoas de todas as idades. Já os alunos da Fundação Bradesco fizeram uso de fibras, frutos e flores secas, além de tintas naturais de espinafre e beterraba para estimular a produção de porta-lápis e caixinhas, valorizando elementos de origem vegetal. Com réplicas em tamanho natural das cinco espécies de tartarugas marinhas do Brasil, os técnicos do Projeto Tamar usavam moldes dos animais para as crianças colorirem em papel e levarem como lembrança. E voluntários da Tintas Coral ensinaram crianças e adultos a fazer arte pintando e cortando garrafas PET.

Durante o Viva a Mata 2007, a Equipe Motorola SOS Mata Atlântica de Corrida de Aventura, que une esporte à preservação ambiental, lançou o novo projeto “Cidadão Consciente”, para ações práticas a serem adotadas por qualquer cidadão, visando minimizar seu impacto na natureza. Aderindo ao programa, o participante ganha uma página exclusiva no site da equipe e, de acordo com o número de ações saudáveis, recebe a denominação bronze, prata ou ouro. Cada "cidadão consciente" pode ainda adquirir estrelas para cada novo participante indicado. No Viva a Mata, e equipe também propôs um desafio de orientação cartográfica, onde as pessoas tiveram que achar no parque pontos destacados no mapa, com ajuda de uma bússola. O “Cidadão Consciente” estará em breve no site www.equipesosmataatlantica.com.br

Galeria de imagens
Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
Recepção - Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
Brinde Convidados - Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
MC Evento Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
Vanessa Camargo - Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
Lenine - Auditório Tim Ibirapuera – Solenidade Mata Atlântica
Auditório do MAM Ibirapuera – Ciclo de debates
Auditório do MAM Ibirapuera – Ciclo de debates
Auditório do MAM Ibirapuera – Ciclo de debates
Publico
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
     

 

A principal dificuldade na preservação da Mata Atlântica é o fato da população desconhecer o que é a mata e quais são as conseqüências do desmatamento, além de não terem consciência de como ajudar a causa que tem reflexos diretos na vida do planeta. Por esse motivo acreditamos que uma campanha como a "Viva a Mata" têm uma grande função social na medida em que ajudam o homem como consumidores conscientes a se informar e, principalmente, acabam sensibilizando e conquistando cada vez mais adeptos de causas ambiental e socialmente responsáveis.

Assim, com este apelo a Fundação SOS MATA ATLÂNTICA sentiu, em 2007 a necessidade de mostrar e abrir este debate amplamente, envolvendo a população. Hoje o VIVA A MATA é um evento público de grandes proporções que acontece anualmente no Parque Ibirapuera com uma série de atividades, exposições e painéis voltados ao diálogo e à integração de grupos e iniciativas que atuam em favor do bioma.

A recepção pelo público e as oportunidades de contato direto com as diferentes realidades do bioma fazem do Viva a Mata um projeto fixo da Fundação, onde a cada ano o encontro reúne todas as experiências desenvolvidas num espaço único para disseminação das mais importantes iniciativas de luta pela floresta.

Todo esse trabalho faz do VIVA A MATA uma campanha vencedora.
A Estrutura foi toda de paredes com fibra de folha de bananeira e material reutilizado, visando respeitar a sustentabilidade dos recursos.
20 estandes de 70m² para ONG`s
06 estandes de 20m² e 30m² para os patrocinadores
01 estande para SOS Mata Atlântica - distribuição de espécies nativas da Mata Atlântica ,
01 lounge para mini-eventos,
03 pórticos de entrada para delimitar o espaço e orientar os visitantes.

Meios de comunicação utilizados;
- Faixas
- Banners
- Internet
- Anúncio em jornal

Galeria de imagens
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
   

 

Resultados da parceria com CEPF são medidos em números e bons exemplos
O seminário de encerramento dos quatro anos do CEPF (Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos), coordenado pela Aliança para a Conservação da Mata Atlântica, parceria entre a Conservação Internacional e a SOS Mata Atlântica reforçou o impacto do apoio a 292 projetos no bioma, com recursos da ordem de US$ 8 milhões. Além dos projetos de fortalecimento institucional, conservação de espécies ameaçadas e incentivo à RPPNs, quatro casos de sucesso para o desenvolvimento regional foram apresentados: os mosaicos de áreas protegidas no Corredor da Serra do Mar, pelo Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica; a recuperação da mata e proteção das águas na bacia do rio Caraívas, pelo Instituto Cidade; a ampliação da rede de Unidades de Conservação no Sul e Extremo Sul da Bahia, pela Flora Brasil; e a implantação do Corredor Ecológico da Mantiqueira, pela ONG Valor Natural. Informações no site www.corredores.org.br

- O evento teve o patrocínio do banco Bradesco, apoio da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, da SPTrans, da Gol Linhas Aéreas Inteligentes, da Academia Ecofit, do hotel Emiliano, do Museu de Arte Moderna e da agência F/Nazca.

- Foi grande o impacto mobilizador e educativo do evento, sobre os mais de 75 mil visitantes que passaram pela Marquise do Ibirapuera.

- O Viva a Mata consagrou-se como o maior evento fixo da Fundação SOS Mata Atlântica e permitiu, mais uma vez, uma maior integração entre defensores do bioma e a população em geral.

Galeria de imagens
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
Parque Ibirapuera – Mobilizações e Viva a Mata Cultural
         

 

Ao final do Viva a Mata, foram recolhidos 1,4 mil quilos de material reciclável (570 de vidro, 393 de plástico, 258 de papel, 135 de metal e 95 de madeira), destinados à Cooperativa Viva Bem, na Vila Leopoldina (SP). Por fim, a quantidade de carbono emitida no evento foi neutralizada com o plantio de árvores equivalente dentro do Programa Florestas do Futuro. Além da gestão ambiental do evento, com a neutralização do carbono gerado e a reciclagem dos resíduos da mostra os estandes este ano foram constituídos de paredes com fibra de folha de bananeira e material reutilizado, visando respeitar a sustentabilidade dos recursos.
Quem passou pela Marquise pôde levar mudas de espécies nativas – no total de 10 mil distribuídas

Publicações lançadas no evento enfatizam participação nas questões ambientais

O público acaba de ganhar oito importantes publicações sobre a Mata Atlântica, lançadas no Viva a Mata 2007. A solenidade de abertura trouxe o novo livro “Minha Terra Protegida”, com a história de 28 proprietários de terra que criaram Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e transformaram suas propriedades em exemplos de conservação. No sábado (26 de maio), os interessados conheceram as matérias vencedoras do Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica 2006 na nova Coletânea do Prêmio e foi também a vez do Voluntariado da SOS Mata Atlântica, com apoio da CIDA (Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional), lançar “Fortalecimento Comunitário – a Experiência do Modelo Colaborativo na SOS Mata Atlântica”. Por fim, uma tarde de lançamentos no Dia Nacional da Mata Atlântica (27 de maio) fechou a série com outros cinco lançamentos apoiados pela Aliança para a Conservação da Mata Atlântica e o CEPF. O Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica apresentou o Caderno número 36 sobre os Mosaicos de Unidades de Conservação, que integram sociedade civil, governos e empresas na gestão ambiental. O Instituto BioAtlântica lançou “Meu Pé de Mata Atlântica: experiências de recomposição florestal em propriedades particulares no Corredor Central”. O Instituto de Estudos Sócioambientais do Sul da Bahia reuniu a experiëncia do Programa de Fortalecimento Institucional do Corredor Central da Mata Atlântica. A Associação Mico-Leão-Dourado lançaram “Pequenas e Poderosas: ONGs ambientalistas do Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar”. E, finalmente, a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) completa a lista com “Vida silvestre: o estreito limiar entre preservação e destruição”.

Mares da Mata Atlântica em debate e lançamento do primeiro edital do Fundo Costa Atlântica

Com o tema “Novos rumos nos mares da Mata Atlântica”, o debate realizado em no Auditório do MAM, trouxe os representantes do Ministério do Meio Ambiente, Ana Paula Leite Prates, e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Marcelo Françozo e Ricardo Castelli, que apresentaram as políticas nacionais para conservação das zonas costeiras e marinhas e a importância do Termo de Cooperação assinado entre o novo Instituto e a SOS Mata Atlântica na abertura do Viva a Mata, como oportunidade única para o apoio e fortalecimento às Unidades de Conservação Marinha e da Mata Atlântica. A diretora de Gestão do Conhecimento da Fundação, Márcia Hirota, explicou o funcionamento do Fundo Costa Atlântica, voltado a projetos de criação e consolidação de UCs Marinhas, e do Fundo Pró Unidades de Conservação Marinha, com piloto na Reserva Biológica Marinha do Atol das Rocas (RN) – ambos dentro do Programa Costa Atlântica, da SOS Mata Atlântica. O primeiro fundo pretende aportar R$ 5 milhões até 2010 e teve o primeiro edital, com recursos de R$ 200 mil, lançado em 24 de maio. A íntegra do edital pode ser acessada no portal www.sosma.org.br Informações pelo email costa@sosma.org.br

Confira quem expôs iniciativas na Marquise do Ibirapuera
Estandes temáticos:
Mobilização – Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE), Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (Amane), Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá), Rede de ONGs da Mata Atlântica (RMA), Instituto Akatu, ONG Projeto Cabuçu, Grupo de Voluntários SOS Mata Atlântica, Avistar – CEO Centro de Estudos Ornitológicos, Greenpeace.
Reciclagem – Instituto Triângulo, Arte em Pneus, ONG Pueras, RPPN Caiuá, Cantareira Viva, Cooperacs.
Educação Ambiental – Organização Bio-Brás, Associação pelo Meio Ambiente de Juiz de Fora, Sambio, Supereco, Associação Pedagógica Dendê da Serra, Instituto Tijuípe, IPEDS, Instituto Baía de Guanabara, Associação Comunitária Alternativa, GERC, Grupo Brasil Verde, Cepedes, SAPI, SAPÊ, Associação de Apoio à Escola (Colégio Estadual José Martins da Costa), CDS Guaçu-Virá, Una Nas Águas, IPEMA, Sociedade Civil dos Bombeiros Voluntários de Santa Teresa, Projeto Piabanha, Tereviva, Nosso Vale Nossa Vida, Mata Atlântica vai à Escola (SOS Mata Atlântica).
Água – Edu das Águas, Cecília Borelli, Sabesp, Terraguar, Brasil das Águas, Rede das Águas, Núcleo União Pró-Tietê.
Observando Nossos Rios – Observando o Ribeira, Observando o Piraí, Amajapa, Asamapab, Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE), Emef Gal. De Gaulle, Ecos do Vitória, Inamar, Lumbini, Suzana Dias e Sorocaba – Médio Tietê.
Zona Costeira / Marinha – Projeto Tamar, Projeto Baleia Franca, Projeto Albatroz, Programa Costa Atlântica, Associação Cairuçu.
Turismo Sustentável – Programa Lagamar, Equipe Motorola SOS Mata Atlântica de Corrida de Aventura, Praia Secreta, Adventure Sports Fair, Pólo Ecoturístico e Artesãos do Lagamar.
Reservas Particulares – mais de 65 projetos de criação e gestão de RPPNs, Programa de Incentivo às RPPNs da Mata Atlântica.
Unidades de Conservação – Instituto de Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, Associação Flora Brasil, AMIP, Floresta Viva, Fundação Florestal de São Paulo.
Paisagens da Mata Atlântica / CEPF – Instituto Pau Brasil de História Natural, AMLD - Associação Mico-Leão Dourado, Valor Natural, Instituto Biomas, ITPA - Instituto Terra de Preservação Ambiental, IESB - Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia, Centro Comunitário Rural da Colina, OADS e Coordenação do CEPF.
Espécies da Mata Atlântica – Instituto Dríades de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade, FAPEU - Fundação de Amparo a Pesquisa e Extensão Universitária, Valor Natural, IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, Ecotuba, Renctas, Instituto Biomas, Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura, Fundep - Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa, IBC - Instituto de Biologia da Conservação, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, Fundep/Depto. Botânica – UFMG, Smithsonian Institution, ECOMAR - Associação de Estudos Costeiros e Marinhos de Abrolhos, Instituto Terra Brasilis, FAURGS - Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Idéia Ambiental, Orca - Organização Consciência Ambiental, FUNEP/SP, Fundep/Depto. Biologia Geral – UFMG, SPVS, Mapa / Instituto Biomas, Associação Pró-Muriqui, Projeto Amiga Tartaruga, FAURGS - Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, IESB - Instituto de Estudos Sócioambientais do Sul da Bahia, BirdLife International – Programa do Brasil, Mülleriana - Sociedade Fritz Müller de Ciências Naturais, UESC - Universidade Estadual de Santa Cruz, ABCRN - Associação Baiana para Conservação dos Recursos Naturais, APNE - Associação Plantas do Nordeste, Instituto de Biociências, CECO - Centro de Estudos Ecológicos e Educação Ambiental, IPEMA - Instituto de Pesquisas da Mata Atlântica / Fundação Ceciliano Abel Almeida.
Viveiros – Floresce Brasil, Instituto Sólon (ISEDS), Flora Tietê.
Agroecologia – Rebraf, SEEDS, Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Aruanda, Chão Vivo, Grupo de Agricultura Ecológica Kapi’xawa, Salve a Serra, In Viva, Ouro Fértil Fibras Naturais.
Restauração Florestal – Instituto Bioatlântica, Instituto Ambiental Vidágua, Instituto Cidade, Florestas do Futuro, Clickarvore, OPA e Escola Ambiental de Mogi das Cruzes.
Escolas – Revista Nova Escola / Editora Abril, EMEF General de Gaulle.
Empresas / Espaço Florestas do Futuro – Centro Universitário Nove de Julho, Coca-Cola FEMSA, Repsol YPF, Volkswagen Caminhões, Gol Linhas Aéreas, Folha de S. Paulo.
Estandes institucionais: SOS Mata Atlântica, Bradesco, Colgate-Palmolive, Tintas Coral e Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo.

Galeria de imagens
Manifesto
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
Parque Ibirapuera e arredores – Caminhada “A Mata Atlântica é aqui”
 

 

 
  • Telefones para contato: (11) 2936-9030 - (11) 7569-9892